ARKIVÃO

ARKIVÃO - espaço para reunir o que vou escrevendo ao longo do tempo, e que se encontra espalhado por aí; arkitectura, referências a terra de origem, divagações disléxicas; tentativa de organização, mas sem critério e por vezes sem cronologia; organização anárKica, incompleta, de conversa da treta, assinada através de diversos pseudónimos.... mas nem tudo estará aqui. Anabela Quelhas

Thursday, September 14, 2006

ao meu pai

Ao meu pai:

Perdia-se numa conversa comigo. Saíamos sem destino, deambulando por Sta Catarina, 31 de Janeiro, Mouzinho da Silveira, observando, sentindo odores, apreciando arcos e cornijas, observando as pessoas,

... sobe escada, desce escada...

...interseptando afirmações com interrogações, num dialogo sem fim...

... os dois com mania de andar depressa! Não passeávamos..., sempre marcha rápida, como se alguém nos esperasse nalgum sítio!... quando o assunto exigia mais concentração parávamos... e esticávamos conversa, às vezes arranjávamos um sitio para sentar,... um muro, um banco... até um degrau servia!... espreitávamos os azulejos em S. Bento, e comíamos castanhas na praça... mais um eléctrico a passar, mais uma chuvinha molha tolos...

- Oh Muoço!!! num bai um raminho de rosas? ... manjerico? Oh, só no Som Joõe, mor!!!

... passagem obrigatória pela Bertrand, o lanche no Majestic, saboreando o brilho dos espelhos daquela jóia facetada, entre uma meia torrada e um pingo!

- Sai um cimbalino!... os cartazes do teatro de S. João... distraído na conversa, às vezes acordava na feira da Vandoma.

-Trazes-me para as velharias?... Para velho basto eu!

- eu sorria, maliciosamente, por este destino, secretamente planeado e apreciando os cabelos brancos de meu pai, que lhe ficavam tão bem, no seu porte ainda jovem. Contornar a Sé, referências a Guerra Junqueiro e António Nobre, observar em picado a Igreja dos Grilos e o seu adro sempre com crianças a brincar...

-... por ali é que é a famosa Rua Escura? ... cenário de tanta história vadia?... muralha sueva, a porta do sol e a dos olivais, lá no extremo oposto na Cordoaria... passar pela igreja de Sta Clara e ir até ao fim da muralha fernandina, espreitar pelas ameias e olhar a serra do pilar e o rio, tantas vezes prateado apesar de Ouro no baptismo... descíamos à cota baixa pelas escadas das Fontaínhas, desembocando na Ribeira.

"A ponte é uma passagem, prá outra margem

Desafio pairando sobre o rio

A ponte é uma miragem.."

Liiiiindo!!!!!!!!!!! (Já Fumega)

Admirado por eu gostar de jantar pelas aquelas arcadas... ver as marcações das cheias pelas paredes, recordar a angústia daquelas gentes, à espera de ver as águas a subir, algumas vezes presenciada por mim.

Atravessar o rio pelo tabuleiro de baixo, pisar em Gaia, ver as caves e sentir o aroma e o sabor de um vintage, enquanto admiramos o perfil da cidade tripeira, e identificamos os monumentos.

...discordando sempre sobre as obras da intervenção SAAL, e paragem obrigatória no cubo de Zé Rodrigues: Lembrar o Duque da Ribeira, salvador de almas quase perdidas, e olhar de mais perto, toda aquela água, a deslizar suavemente até à Foz, o cais da Ribeira e o da Estiva. ...visitar o pequeno labirinto da Casa do Infante, recuar na história até à 2ª dinastia.

Regressar pela Rua das Flores sem vislumbrar qualquer tragédia, apenas a concentração de ourivesarias, espreitar o barroco, depois do largo dos Lóios, confirmar a intervenção de Almada.

As filas nas paragens de autocarro,...

-... está cansado para o regresso?

- Em vez de esperarmos na fila vamos andando.

- O 20 ou o 78 estão sempre a passar!...

- Olha ali mais acima o que andam a fazer? Vem-me mostrar! De quem é aquela estátua?... o grande espaço onde a cidade manifesta a sua vontade colectiva, D. Pedro IV ( afirmação de liderança e resistência contra quem atacava a partir do sul) dum lado, e Garrett do outro!... a meio a "Menina Nua" de Henrique Moreira. O Comércio do Porto... atalhar caminho pela rua Formosa, e passar ao Bolhão quase a fechar.

Mais um regresso a casa.

Poupou-me sofrimento, evitou que eu vivesse a violência e ensinou-me a ser teimosa, persistente, tolerante, a ter opinião própria e a discordar com ele.

Anabela Quelhas

1 Comments:

Blogger JotaCê Carranca said...

Gostei

4:24 AM  

Post a Comment

<< Home